Ao escrevermos um texto, precisamos sempre considerar a finalidade com a qual o fazemos. Estamos escrevendo por diversão? Qual é nosso público? O que desejamos a partir daquele texto? Transmitir conhecimento, emoção, desenvolver habilidades específicas?

Necessidades específicas geram diferentes tipos de avaliação.

Por exemplo, ao escrevermos uma redação para concurso público, esperamos ser avaliados pela assertividade de nossa escrita, gramática, pontuação, coerência, coesão e aderência ao tema. São pontos fundamentais e importantes para qualquer tipo de criação de conteúdo, afinal, é difícil voltarmos para um site que posta textos mal escritos, assim como é difícil continuarmos a leitura de um livro quando a história é confusa ou sem coerência.

Assim como outros órgãos, quando as editoras avaliam manuscritos a serem publicados, alguns pontos específicos são mais considerados. Neste post vamos falar de alguns critérios das editoras ao escolher suas novas publicações.

Como em todo mercado, as tendências são sempre consideradas quando uma editora pensa em investir em uma nova publicação. Livros que falam de assuntos socialmente relevantes (principalmente os mais modernos) são sempre a primeira opção. Por exemplo, no ano passado, tivemos entre os best-sellers diversos livros clássicos sobre sociedades alternativas, livros sobre feminismo, influenciadores digitais e jogos. É claro que quando escrevemos, devemos falar sobre o que amamos e os assuntos que dominamos, mas existem muitos autores que pesquisam essas tendências e escrevem romances ou biografias sobre elas a fim de alavancar as vendas.

Como as tendências, também é considerado o nicho da editora. Algumas editoras lançam apenas romances, enquanto outras trabalham com terror, biografias, clássicos ou livros didáticos. Ao publicar um livro, é sempre interessante que o autor busque editoras que trabalham com o tema de seu livro a fim de receber melhores orientações sobre manuscrito e publicação.

Para cada temática, será sempre levada em consideração sua maneira de escrever, seu conhecimento gramatical e a coerência da história. Comece criando um roteiro. Assim, o tema pode ser desenvolvido com maior facilidade e você encontrará os pontos fortes de sua história. Também é sempre importante ler livros da mesma área que os seus, assim você identificará padrões no modo de escrever e no que as pessoas esperam de livros do gênero. Depois disso, é só usar a imaginação!